Fatel

Notícias

Liderança e identidade: a comunidade lGBTQIA+ no mundo corporativo

Estamos chegando ao Dia Internacional da Diversidade e o debate sobre direitos e avanços da população LGBTQIA+ precisa integrar a realidade do mundo do trabalho.

Estamos chegando ao Dia Internacional da Diversidade e o debate sobre direitos e avanços da população LGBTQIA+ precisa integrar a realidade do mundo do trabalho. A agenda de Diversidade & Inclusão é urgente para promover transformações nos espaços corporativos. Quando fazemos um recorte para analisar os líderes que se identificam como membros da comunidade, o número ainda é escasso, mas eles estão atuantes no mercado e são talentos estratégicos para o negócio e para o desenvolvimento da sociedade.

Estudo da Russell Reynolds Associates identificou os pontos fortes e as experiências de executivos LGBTQIA+ que alcançaram posições de liderança. Apesar das dificuldades e desafios em tornar pública a sua orientação sexual, todos os líderes consultados no estudo revelaram que vivenciar os altos e baixos fortaleceu a confiança e a motivação necessárias para desenvolver suas carreiras e chegar ao topo da pirâmide corporativa.

As experiências pessoais desses gestores também resultaram em um ponto positivo no desempenho de suas atividades. Abraçar a própria identidade em uma sociedade que ainda tenta impor gêneros fez com que eles desenvolvessem alta inteligência emocional, fundamental para sobreviver nos dias atuais. Perseverantes, resilientes e empáticos, esses líderes mostram capacidade excepcional de articulação e de se conectar com os outros, justamente por serem membros de um grupo minoritário e crescerem enfrentando desafios culturais e se esforçando para serem ouvidos sem o manto do preconceito. Não faltam exemplos de casos em que, mesmo não sendo intencional, os colegas podem dizer ou fazer algo ofensivo e 43% dos executivos LGBTQIA+ dizem que talentos em Diversidade deixaram sua organização devido à falta de inclusão, bem acima dos 29% dos demais executivos.

As organizações precisam se atentar à forma como definem e implementam as políticas e práticas para desenvolver um maior senso de pertencimento entre todos os colaboradores. Uma orientação válida para as companhias que querem promover a Diversidade e Inclusão é considerar que não se trata apenas de prevenir assédio e discriminação, mas também de ajudar no desenvolvimento de um líder LGBTQIA+ com mentorias, por exemplo. Todos os entrevistados mencionaram como o ambiente é essencial para apoiar sua jornada evolutiva e para que possam concentrar sua atenção em seu trabalho e não em suas diferenças.

Os entrevistados no estudo da Russell Reynolds ascenderam às posições de liderança em um período em que ser LGBTQIA+ era um grande tabu e os gestores que poderiam atuar como exemplo não haviam assumido sua orientação sexual publicamente ou eram simplesmente excluídos, mas hoje eles são reconhecidos no mercado pelos resultados que geram aos negócios em suas organizações, devido às suas competências e personalidade inabalável.

Houve muito progresso em muitos aspectos, mas ainda há muito mais a fazer para impulsionar e criar ambientes onde futuros colaboradores da comunidade tenham mais oportunidades para serem grandes líderes. Diversidade é a linha mestra para trazer para dentro das organizações visões diferentes de mundo, permitindo enxergar melhor a sociedade em que atuam e, consequentemente, entendendo os anseios do seu mercado consumidor. Assim como a transformação digital mudou o futuro dos negócios, o meio corporativo agora enfrenta os desafios em incorporar a Sustentabilidade, o que inclui Diversidade e Inclusão. Além de ser um princípio ético, é também uma estratégia de negócios.

Últimas Notícias

  • Empresariais
  • Técnicas
  • Estaduais
  • Artigos
  • Melhores

Agenda Tributária

Cotação Dólar